segunda-feira, 22 de junho de 2009

2ª parte Absolut

Minhas requentadas saudações, twitteiros!

Opa, acho que troquei as bolas (por querer). É que essa febre do twitter está pegando geral. Sabe, gente, agora é chique ter twitter. "Dá status, é tão bom!" Sei lá, podemos ter a ilusão de que interagimos com diversas (pseudo) celebridades ao acompanhar (follow) os posts de alguns seres midiáticos que querem parecer moderninhos, antenados. Já perceberam isso?

Aviso: Dificilmente eles irão dar um feedback para a sua inexistente pessoa, mas a diversão, embora possa soar um tanto quanto artificial e piegas, ainda é garantida. Pelo menos para este chef que doura a pílula naquele universo cool da high society. Bah!

Bom, mas para ser sincero, este post não foi pensado para comentar sobre o twitter. Farei isso com louvor no post seguinte. Ou seja, uma estratégia para deixar estes internautas esfomeados com gostinho de quero mais. Desta vez o propósito da escrita é outro. Não pensem que me esqueci da 2ª parte a respeito dos trajes surreais da queridinha Absolut.

Sendo assim, é mais do que tempo de fazê-lo, pois se não o fizer, corro o inevitável risco de a freguesia abandonar as mesas desta aprazível casa, alegando ser este chef desatento para com os pedidos e promessas do menu. Portanto, vamos ao que interessa... obs: Não percam o próximo twitterpost, mesmo! E com vocês, na passarela >>



segunda-feira, 1 de junho de 2009

Maisa, Susan Boyle e a revelação!

Saudações, camaradas!

Reconheço: Este espaço ficou ao léu. Fato! O que fazer para me redimir? Bom, que tal uma fenomenal comparação entre duas estrelas da atualidade? Aqui valem aquelas máximas: carinha de um, fucinho de outro; o antes e o depois; a evolução da espécie; qualquer semelhança [não] é mera coincidência, e por aí vai...


Como notarão abaixo, de um lado, para a alegria do homem do Baú e de sua peruca saltitante, a mutante mais menina que a televisão brasileira já viu, Maisa. De outro, a caloura mais chiclete vencido e sem sabor que nossos ouvidos tiveram que aturar, Susan Boyle. Enjoy!


(comentário interno): Não sabia que a Susan Boyle tinha uma "herdeira" no Brasil...

Depois dessa bizarrice, segue agora uma imagem captada pelas lentes deste fotógrafo amador quando da ida da careca mais famosa da TV brasileira à faculdade de Direito do Largo de São Francisco, Marcelo Tas. Imagem capturada de uma perspectiva panorâmica a fim de gerar o efeito “onde está Wally”, entendendo por Wally, a careca reluzente à la ilustra móveis do Don Corleone do CQC! Obs. triste: câmera in memorian.




Ah, pessoal, não me esqueci da 2ª parte das propagandas Absolut. Estão sensacionais! Até lá, porém, aguardem saboreando uma russa, ops!? [ato falho], um destilado russo. Cheers!

Obs2: Sobre a Susan Boyle, já que mencionamos o álcool, creio que ela toma(ou) muitos scotchs pra ficar com a voz tão "melódica". Logo, uma suposição virtual: Será que nossa garotinha andróide não sofreu e ainda sofre dos efeitos da "marvada" por conviver com uma "mãe" tão ébria? Aposto que ela dava à "filha", todas as noites, uma garrafa daquele mascotinho com espada e chapéu ao invés de Toddyinho. Talvez é por esse motivo que Maisa não faz múúú.

Eureka: Isso pode explicar a traquinagem, o comportamento peralta de Maisa, ou melhor, "daquela que não deve ser nomeada". Pronto! Revelei o segredo guardado a sete chaves pelo Baú da Tentação =) O que será de mim agora? Desculpe, Silvio. Não vai me assustar! Não sou "ela" mas também choro =P