quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Europa na cabeça

Extra, Extra: Primeiro post diretamente da Inglaterra [Cambridge, para ser mais exato!]

Prezados companheiros, desculpe pelo lapso sem postagem, mas isso já era previsto, dada a vida corrida que levo pra nesses lados. Ora, o tempo em Cambridge está congelante, literalmente. Nem é preciso colocar os condimentos na geladeira. Sério mesmo!?
Quando cheguei, no sábado passado, a previsão apontava -5 Cº. É, meus caros, sintam um pouquinho do ar gelado e do vento cortante que paira na Bretanha.



Conforme for presenciando fatos curiosos, tirando fotos, ouvindo causos, enfim, com o passar do tempo, postarei algumas impressões deste ambiente nublado e escuro no qual estou passando as férias, ok? Mas ressalto: A freqüência de postagens não será como antes enquanto eu estiver nessa rotina estafante do outro lado do Atlântico =P


Contudo, já que estou na Europa, nada mais oportuno do que ilustrar este espaço com assuntos relativos ao referido continente, como por exemplo, uma inusitada notícia da Espanha (AFP), a qual segue abaixo>>

Lula é um dos 'caganers' de famosos na tradicional festa de Natal catalã


ESTARTIT, Espanha (AFP) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva virou um bonequinho "caganer", o tradicional 'santo cagão' das festividades de Natal da Catalunha que, nos últimos anos, recuperou a popularidade ao homenagear celebridades do mundo todo.
Lula passou a integrar a lista de personalidades homenageadas junto a nomes como o do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, e da primeira-dama da França, Carla Bruni, todos devidamente vistos com as calças arriadas e exibindo o traseiro enquanto satisfazem suas necessidades fisiológicas.

Sinônimo de fertilidade numa sociedade de tradição agrícola, esta figura de terra representando um camponês em posição de evacuação remonta, segundo os historiadores, à exaltação realista da época barroca, no século XVIII.
O "caganer" simboliza a necessidade de fertilizar a terra para ter uma boa colheita no ano seguinte", explica Jacques Deloncle, curador do museu do Castillet, em Perpignan, "capital" da Catalunha francesa.

"Mas ele constitui também uma forma de irreverência que lembra a todos que os homens são iguais quando se trata da vida e das funções biológicas", acrescentou este etnólogo.


**Para arrematar este post de forma graciosa, seguindo na toada européia, vislumbrem um mapa bem interessante desse confuso continente.

Hora do humor barato



Olá, caros internautas. Muito bem-vindos!

Confesso que gostei dos argumentos dos freqüentadores deste seleto estabelecimento quando do último post. Demonstra o tino crítico e o olhar aguçado de cada um para uma questão tão delicada e não menos complicada.

Novos aromas: Há poucos dias de minha viagem [exatamente 1] para a terra da Rainha (confiram o post destinado à aventura em questão), venho lhes agraciar com um momento de descontração, a hora do “aiaiai uiuiui” da web, como bem registrou o homem do Baú, um tal de Senor Abravanel (ou Silvio Santos, para os íntimos) no programa Pânico na TV [sem julgamento de valores!]



Segue abaixo uma interessante “anedota” do genial Luís Fernando Veríssimo. Tendo como título o sugestivo “Conto de Fadas para Mulheres do Século 21”, Veríssimo alfineta, de um jeito ímpar, alguns indivíduos do sexo masculino que ainda permanecem comungando do tradicional “paradigma matrimonial”, se assim podemos ,de forma provocativa, ousar dizer quem mantém arraigado hábitos “triviais” do pretérito (com o perdão de incorrer no generalismo).

Ou seja, o texto serve de reflexão para os homens mais acomodados, preguiçosos, que querem a mulher fazendo “cama, mesa e banho”, ou ainda, “barba, cabelo e bigode”, num trocadilho talvez inapropriado para alguns leitores deste reduto. Tudo bem, o contrário pode ocorrer, isto é, o homem fazer às vezes das mulheres, entretanto, o mais comum de se ver é o que expus no início deste parágrafo. Enfim, chega de embolação e vamos à famigerada anedota>>


Conto de Fadas para Mulheres do Século 21


Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa, independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã. Então, a rã pulou para o seu colo e disse:


- Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Mas, uma bruxa má lançou-me um encanto e eu me transformei nesta rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir um lar feliz no teu lindo castelo. A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre...


E então, naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã à sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava: 'Nem FO-DEN-DO!'






-> Aproveitando a deixa para o humor “conjugal”, segue mais um gracejo express (não se acostumem, hehe!)


Quando um homem deve usar brinco


Um dia, no escritório de advocacia, um homem reparou que o seu colega,
muito conservador, estava usando um brinco.

- Não sabia que você gostava desse tipo de coisas - comentou

- Não é nada de especial, é só um brinco! - replicou o colega

- Há quanto tempo você o usa?

- Desde que a minha mulher o encontrou, no meu carro, na semana passada =P